© Não reproduza sem a autorização do autor

  • Arthur Ituassu

Rio lança Laboratório de Participação digital


Louvável, iniciativa demanda visibilidade e programas de capacitação cidadã

Esta semana, o prefeito Eduardo Paes anunciou a criação do Laboratório de Participação da Prefeitura do Rio (LAB.Rio) e colocou o Rio de Janeiro, até com certo atraso, no rol das grandes metrópoles brasileiras que possuem iniciativas digitais de participação, como Belo Horizonte e Porto Alegre. O Laboratório dá seguimento à experiência do Ágora Rio, criado pelo jovem Luti Guedes, oriundo do Núcleo de Direitos Humanos da PUC-Rio. Trata-se uma plataforma colaborativa de políticas públicas que, lançada em setembro, apresentou também esta semana seu primeiro relatório de propostas feitas por cidadãos via internet à Prefeitura.

Iniciativas louváveis, seria importante atentar para dois pontos. O primeiro é o da visibilidade. Iniciativas de participação demandam grande cuidado com a publicidade do projeto e de suas dinâmicas, o que às vezes é muito caro e dispendioso e acaba ficando em segundo plano. É a publicidade que garante o caráter público (republicano) da iniciativa, sem ela uma intenção democrática pode se transformar em um conluio.

O outro ponto é o da capacitação cidadã. A meu ver, iniciativas participacionistas deveriam vir sempre acompanhadas de programas de capacitação cidadã material e intelectual para a participação, que poderiam ser desenvolvidos nas escolas públicas da cidade. Tudo para que se tenha alguma garantia de que a Web não esteja sendo utilizada como mais um meio de reprodução das hierarquias sociais estabelecidas, mas sim como mecanismo de inclusão cidadã na deliberação de temas comuns.

p.s.: férias, voltamos em 2015.

#democraciadigital #edemocracia #participação #eparticipação #riodejaneiro