top of page
  • Arthur Ituassu

Fim, transformações e o eclipse do Público

Texto para a Associação Brasileira de Pesquisadores em Comunicação e Política (Compolítica)

Na última edição (#14) deste Especial Coronavírus, promovido pela Compolítica,  Lattman-Weltman sugeriu uma hipótese centrada na ideia de “extinção da esfera pública”, como interpretação da Comunicação Política no Brasil contemporâneo. Na verdade, como o próprio autor afirma, “não é propriamente a inviabilização da esfera pública ideal por seu desvirtuamento plebiscitário-aclamativo. Mas sim a própria impossibilidade sequer do simulacro”. Para Lattman-Weltman, “é como se agora não houvesse nada além de uma miríade de esferas públicas plebeias – ou nem tão “plebeias” assim –, em grande medida incomunicáveis entre si, incapazes de (ou simplesmente indiferentes a) qualquer espécie de síntese (ou simulacro de síntese)”. Leia mais.

Comments


bottom of page