• Arthur Ituassu

14 de agosto (adiado para o dia 19)


Primeiro debate entre candidatos ao governo do Rio vai contar com "twittômetro" e perguntas via WhatsAPP.

A rede de TV Bandeirantes e o Twitter Brasil anunciaram esta semana uma parceria inédita no país que vai permitir, segundo as empresas, a interação direta entre eleitores e candidatos ao vivo durante o primeiro debate entre postulantes ao governo do Rio de Janeiro. O programa será realizado e transmitido na quinta-feira, 14 de agosto, a partir das 22h e contará com a presença de Anthony Garotinho (PR), Luiz Fernando Pezão (PMDB), Lindberg Farias (PT), Marcelo Crivella (PRB) e Tarcisio Motta (PSOL).

De acordo com os organizadores, o "twittômetro" vai mensurar em tempo real e exibir na televisão os temas que estiverem gerando o maior número de tweets com a hashtag #DebateBandRio. Além disso, ao fim de cada um dos cinco blocos, questões enviadas pelo Twitter serão colocadas aos candidatos e um bloco inteiro será dedicado a perguntas recebidas pelos organizadores por WhatsApp.

Apesar de louvável, é claro que iniciativas como essa parecem estar mais preocupadas com marketing promocional e audiência e menos com o aprimoramento da democracia por meio do ambiente online em contexto eleitoral. Mesmo assim, isso também não significa que alguém com foco no ambiente democrático deva descartar de todo esse tipo de ação. Se as perguntas enviadas pela Web e apresentadas no debate raramente trazem alguma contribuição de fato às discussões, a ideia do "twittômetro" pode ser interessante se vista como um fragmento de uma certa opinião pública, por meio do qual se pode saber o que preocupa ou qual é a agenda política de quem acompanha um debate político e o comenta via internet.

Por fim, seria interessante se as empresas envolvidas (Rede Bandeirantes e Twitter Brasil) esclaressem os processos de mediação e seleção do conteúdo online enviado, quais serão os critérios e quem estaria responsável pela função, o que tornaria mais transparente a iniciativa. Afinal, ninguém imagina que todo o conteúdo enviado vá ao ar indiscriminadamente, imagina?

#eleições2014 #democraciadigital

© Não reproduza sem a autorização do autor